Tag Archives: nua

Estou virando exibicionista?

23 jul

Eu tenho certeza que todos vocês já tiveram esse sonho, ou uma variação dele: você está na rua, ou no trabalho, ou em qualquer lugar, e está nua. Se descobre nua de uma hora pra outra! E bate aquela sensação de desespero.

Eu tive muitas vezes. Desde bem nova, onde sonhava que estava nua no colégio, até adulta, quando já sonhei estar nua no estádio Beira Rio. Acordava assustada, e só me acalmava quando via que fora um sonho.

exibicionismo

Mas acontece que, de uns tempos pra cá, tenho sonhado sim que estou nua nos lugares, mas que faço isso por querer! Já me vi nua no centro da cidade, caminhando decidida por entre a multidão, que mesmo sendo apenas vultos em meu sonho, eu notava que estavam me olhando.

Já sonhei que caminhava nua por entre os carros, em um engarrafamento. Entre um carro e outro, sentindo o vento no meu corpo, meus seios se movimentando com o meu andar. Já sonhei que dançava nua, em meio à pista de dança, e que um circulo se formava à minha volta.

E fui ficando mais ousada, também nos meus sonhos. Se antes eu ficava nua normalmente, agora passei a provocar. Me vejo nua me exibindo para as pessoas, fazendo poses, criando situações. E no sonho isso tem me dado prazer. Me exibir, provocar, fugir.

Hoje tive um sonho assim. E acordei excitada. Resta saber até quando conseguirei fugir.

Polaroid

22 ago

 

Essa história dos peladões que tá rolando me fez lembrar de quando eu e a Nathalia nos conhecemos.

A primeira vez que a vi, ela estava sendo fotografada. Era uma foto com amigas, sei lá. Só sei que ela estava fazendo um “biquinho” com a boca. A primeira coisa que pensei foi: Meu Deus do céu, essa boca… (antes que vocês concordem com ela que sou obcecado por sexo oral, eu pensava em beijos). O fato é que ela tem uma boca maravilhosa, carnuda, bem desenhada. E me apaixonei primeiro pela sua boca.

Nessa mesma ocasião fomos apresentados, conversamos horas a fio e fomos embora com a certeza de que algo especial estava acontecendo.

Na primeira noite que ela veio na minha casa, lá pelas tantas, eu saquei uma Polaroid velha que tinha e pedi pra fotografar a sua boca.

Terminamos a noite na cama, ainda nos conhecendo e descobrindo os nossos desejos e prazeres. Tudo era novidade, cada toque, cada cheiro, cada textura, cada gosto.

Dormimos juntos pela primeira vez, e agora relembrando, vejo que é como dormimos até hoje: amontoados, um por cima do outro, enroscados, e uma infinidade de cama sobrando.

Ela precisava sair cedo, e não sei como, conseguiu acordar (ela é dorminhoca). E quando eu acordei, a surpresa: antes de sair ela pegou a Polaroid e fez várias fotos suas. Começava com os pés, pernas, coxas, e ia subindo… Terminava com uma de corpo inteiro, totalmente nua, e foi nessa que ela escreveu atrás: “Não quero te dar só a minha boca, quero me dar inteira…”

E eu, que já estava maravilhado, me entreguei.

Espalhei as fotos pela mesa de centro, peguei o violão e comecei a cantar aquela velha canção:

“Tens um não sei que

De paraíso

E o corpo mais preciso

Que o mais lindo dos mortais

Tens uma beleza infinita

E a boca mais bonita

Que a minha já tocou…”

 


Sapatos

25 maio

 

Quer ver eu gastar todo o meu dinheiro? Quer me ver com uma cara de deleite? Quer me ver hipnotizada, com a boca entreaberta e querendo mais? É fácil. Me leve a uma loja de sapatos.

Sim, sou doida por sapatos. Tenho muuuuuitos pares. Muitos mesmo. Mais do que deveria, mais do que até mesmo o bom senso recomenda.

Sei que é uma coisa comum entre as mulheres. Sei até de gente que tem mais pares de sapatos do que eu. É o que me consola.

Mas eu acho que o sapato diz muito sobre a pessoa que está usando-o. E que um belo sapato faz muito bem à aparência. Uma mulher de salto alto não fica mais bonita? Pernas mais torneadas? Mais sexy?

Uma vez conheci um cara que tinha tara por sapatos. Notei que enquanto conversávamos ele não tirava os olhos dos meus pés. Achei que se tratava de um podólatra, esses caras que adoram pés femininos. O fato é que estava gostando da situação, ele vidrado por alguma parte do meu corpo.

Mas, que nada. Ele estava era admirando o meu sapato. Tanto que, bem mais tarde, quando acabamos na cama, ele me pediu já doido de tesão: “Transa comigo de sapatos?”

E assim o fiz, tal qual uma estrela pornô americana. Nua, apenas de sapatos de salto.

 

 

E em todas as vezes que transamos, era sempre assim: nada de pés descalços. Talvez tenha durado mais tempo do que deveria nosso romance. Acho que gostei mais de exibir uma parte da minha coleção de sapatos do que dele, o rapaz.

 

Já o Ricardo me prefere de botas. Nua de botas.

 

 

E vocês, do que vocês gostam?